Aeronaves

Histórico

No final da década de 1980, o mercado mundial demonstrava a necessidade de aeronaves com um número médio de 50 assentos, e com tecnologias mais avançadas que os turboélices. A partir desta demanda, em 1989 a Embraer começou a desenvolver uma aeronave a jato para 50 passageiros. Ainda naquele ano, o EMB 145, primeiro avião comercial a jato a ser produzido pela Embraer, foi apresentado oficialmente durante o Salon Aeronautique de Le Bourget, com a promessa de dominar o setor de aeronaves de médio porte nas décadas seguintes.

Apesar do objetivo ambicioso, o projeto foi praticamente abandonado devido à crise que passava a Embraer. Em 1991, porém, o projeto foi reativado, e no mesmo ano começaram os estudos para implementar algumas alterações. O avião foi projetado para operações com elevados índices de pousos e decolagens, além de operar com eficiência em pistas curtas.

Como não havia recursos para a fabricação do avião, a Embraer recorreu a parcerias internacionais no formato de risk sharing (compartilhamento de risco), onde as empresas parceiras assumem o risco de fornecer peças e apenas lucrar caso o produto tenha sucesso. Importantes empresas se interessaram pela aeronave, o que viabilizou a continuidade do projeto.

A situação de crise levou à privatização da Embraer em 1994. Com seu novo estatuto, a direção da empresa mudou e iniciou-se um processo de intensa reestruturação interna, como a adoção de estratégias voltadas a novos nichos do mercado da aviação e o EMB 145 tornou-se a grande promessa da nova fase da empresa. No mesmo ano, o novo avião começou a ser montado, e em agosto de 1995 fez seu primeiro voo oficial e rollout. O primeiro exemplar em série do jato pressurizado para transporte regional foi entregue em 1996 para a empresa norte-americana Continental Express. Em 1998, o EMB 145 passou a adotar a sigla ERJ 145 (de Embraer Regional Jet). No mesmo ano, a Embraer entregava o 50º ERJ 145. Em 2002, a Varig começou a operar com o ERJ 145 na ponte aérea RJ-SP, rota comercial mais rentável do país. Era a primeira vez que esta rota contaria com um avião nacional.

Em 1997, a fabricação do ERJ 145 foi transferida para Botucatu, e a empresa desenvolveu aeronaves com características semelhantes usando o conceito “família”, que implica em uma adoção estratégica de padronização de rotinas, que se estendem em vários aspectos, passando pela redução nos custos de desenvolvimento de novos projetos e de custos de manutenção.

Em 2002, a Embraer inaugurou sua primeira unidade fabril no exterior, instalada na China, resultado de uma joint-venture formada com a Harbin Aircraft, responsável por produzir o jato regional ERJ 145. No ano seguinte, foi produzido o primeiro ERJ 145 chinês.

O sucesso da aeronave transformou o ERJ 145 em símbolo de uma nova Embraer, pautada pela gestão integrada de inteligência de mercado, projeto, produção e suporte pós-venda, o que a recolocou entre as principais indústrias mundiais do setor.

Em 2009, mais de 1100 aeronaves dessa plataforma voam em todos os continentes nas mais diversas cores.​

Ficha Técnica

  • Nome do Produto:ERJ 145
  • Código da Embraer:ERJ 145/135/140
  • Nicho de Mercado:Aviação Comercial
  • Início de Projeto:1989
  • Lançamento: 
  • Primeira Venda: 
  • 1º Voo:1995
  • Certificações: 
  • Rollout:1995
  • 1ª Entrega:Continental Express/Estados Unidos
  • 1º Cliente: 
  • Outros clientes:
     
  • Outras referências:
     
  • Evolução: 
  • Final de Produção: 

Três Vistas

erj145.gif

Especificações

DIMENSÕES
Comprimento    
Altura    
Envergadura    
PERFORMANCE
Velocidade Max. de Cruzeiro    
Alcance    
Distância de Decolagem ( peso max., mível do mar, ISA )    
Distancia de Pouso ( nível do mar, ISA )    
Grupo Motopropulsor    
Capacidade de tanque de produtos (hooper)